Arquivo: Leia as notícias em modo completo e simples
15.05.18
Publicado por nas categorias: Matérias , Traduções

Na última sexta feira (11), Marian Hill foi citado em uma publicação do The New York Times.
O The New York Times é um dos jornais diários estadunidense mais lidos dos Estados Unidos e toda semana eles escolhem as músicas e vídeos mais notáveis e fazem um resumo. Nessa última semana, o jornal falou sobre “Listening” que é a faixa número nove do álbum e que foi resultado da parceria do duo com o saxofonista Steve Davit que os acompanha durante os shows ao vivo e turnês. Leia abaixo a tradução da publicação da NY Times:

Marian Hill featuring Steve Davit, “Listening”

“Esta releitura amorosa de cabaré-jazz do som de Aaliyah e Timbaland aperfeiçoada em “Are You That Somebody?” É um dos destaques do impressionante novo álbum de R&B fragmentado do Marian Hill, a dupla de Jeremy Lloyd e Samantha Gongol.”



15.05.18
Publicado por nas categorias: Matérias , Novidades

Após dois anos trabalhando com o álbum de estréia “Act One”, na última sexta feira (11), Marian Hill lançou o tão esperado segundo álbum de estúdio entitulado “Unusual”. Eles explicaram em algumas entrevistas que o nome do álbum se deu devido ao fato de não conseguirem encaixar o som deles em nenhum estilo e por isso é “incomum”.

O álbum possui apenas dez faixas (o que é uma pena pois por mim teria umas 20 pelo menos), mas são simplesmente AS MÚSICAS. Não existe uma única faixa que você diga: “cara, essa aqui é chata”. Após 7 meses do processo de composição, gravação e produção, o duo entregou um álbum repleto de hinos.

Em várias das entrevistas dadas por eles para a divugação do álbum, eles descreveram as músicas de “Unusual” como uma coleção de músicas que exploram uma narrativa mais complicada do que antes. “E há uma reviravolta no final”, diz Gongol. “Queríamos que as pessoas se sentissem fortes e empoderadas quando o ouvissem”. A produção do álbum é “mais agressiva, mais pesada, mais forte”, disse ela.

Vocês já ouviram o álbum? O que acharam? Se não ouviram, aproveite esse momentinho livre e ouça. Garanto que não irão se arrepender e ainda me agradecerão eternamente por ter mostrado essa bíblia sonora pra vocês 🙂



23.04.18
Publicado por nas categorias: Matérias , Shows , Unusual Tour , vídeos

Nos dois últimos fim de semana (para ser mais exata, 14 e 21 de Abril), o Marian Hill fez sua primeira performance no Coachella. O duo performou no “Outdoor Stage”, o mesmo palco onde a rainha Beyoncé performou.

Sam e Jeremy entregaram um show incrível, cheio de energia e com algumas músicas novas (Subtle Thing, Differently, Wish You Would, All Night Long e Sideways) e algumas músicas do primeiro álbum (Down, Got It, Whisky, I Want You, One Time). Samantha como sempre dominou o palco pulando e dançando a todo o tempo, Jeremy entregou batidas perfeitas e Steve Davit como sempre arrasou com seu sax.

O duo também trouxe para os dois fins de semana a participação especial da cantora, compositora e ex integrante do maior girl group da década, Fifth Harmony para performar “Back To Me” com eles.

Veja abaixo alguns vídeos do primeiro fim de semana (14 de Abril):

O duo também performou no mesmo palco na segunda semana porém devido ao calor excessivo, tiveram alguns problemas técnicos mas que foram superados graças ao Steve e seu saxofone que deu a base necessária pra Sam continuar cantando até que o problema fosse resolvido. Veja alguns destaques da segunda semana do duo no Coachella:

Já conhece o nosso Twitter? Nos siga e acompanhe para novidades sobre o duo @marianhillcombr!


21.04.18
Publicado por nas categorias: Entrevistas , Traduções , Unusual Tour

Durante a primeira semana do Coachella, mas especificamente no dia 14 de Abril e depois do show, Jeremy, Samantha e Lauren Jauregui concederam uma entrevista ao Idolator e eles falaram sobre quais shows queriam assistir no festival, sobre seus projetos, álbuns e muito mais. Leia abaixo a tradução da entrevista.


Idolator: Já tiveram a oportunidade de assistir algum show?

Jeremy: Nós chegamos aqui ontem à noite. Pegamos o final do set do Vince Staples, o que foi ótimo porque pegamos um pouco de Kendrick Lamar também.
Lauren: Eu vim hoje. Na verdade, ontem era o aniversário do meu namorado, então passei com ele em Los Angeles e, então, ele deveria ter um show hoje, mas depois foi cancelado, então ele conseguiu ir ao show. Ele literalmente foi cancelado ontem às 9 da noite. Foi tão louco. E então ele nos convenceu de ficar aqui e tudo deu certo. Muito agradecido.
Sam: Isso é insano.

Idolator: Quem está na sua lista hoje?

J: BROCKHAMPTON é o número um na minha lista, eu irei lá depois disso. Com BROCKHAMPTON, às vezes eu me transformo em um fan boy. Eu geralmente sou muito distante e nas ruas, esperto, seja lá o que diabos eu sou.
S: Ele realmente é.
L: Eu quero tanto ver Jorja Smith. Eu quero ver Alt-J, mas eles estão ao mesmo tempo que Post Malone, que é onde Ty está se apresentando. Então, vamos ver o que acontece. Oh e Louis The Child também.

Idolator: E você, Samantha?

S: Beyoncé.
L: Oh, e Beyoncé! Mano, eu curto muito Beyoncé.
L: Parece que nunca olhei a programação. Eu fico tipo “Beyoncé. O destaque. “Mas Beyoncé.

Idolator: Eu amo o quão estranha a era Unusual é visualmente. O vídeo “Subtle Things” foi realmente fora do comum.

J: Quero dizer, o ponto de chamar o álbum Unusual é que sentimos que nossa música sempre foi difícil para as pessoas categorizarem. Para categorizar, para contextualizar, e queríamos tentar fazer a mesma coisa com os visuais. Queríamos que os vídeos realmente levassem as pessoas para outro lugar. Para realmente fazer com que eles mudem como olham para as coisas.
S: Sim, mais ou menos como um acompanhante é o que eu tenho dito. Queremos dar às pessoas um mundo alternativo para ver ou ouvir nossa música, eu acho. Sim. Se isso faz sentido. Eu também acho que, muito cedo, nos tornamos conhecidos por fazer algo como música sexual e acho que seria muito fácil com nossos recursos visuais fazer uma música sobre relacionamentos e todas essas coisas, mas quando criamos visuais nós tentamos dar outra perspectiva.

Idolator: Quando você tem um hit tão grande quanto “Down”, há pressão para repetir isso? Lauren provavelmente pode participar porque ela esteve ali com Fifth Harmony.

J: Eu digo a mim mesmo que não preciso sentir pressão, mas você sente isso. É impossível não fazer isso.
S: Lauren tem hits por dias.
L: Eu literalmente não tenho hits.
S: Sim você tem, oh meu Deus!
L: Quero dizer, sim. Fifth Harmony fez isso, com certeza. Você sabe, “Work From Home” foi uma surpresa tão grande que eu não sei se você poderia ter mirado ou até mesmo recriado, para ser real, porque era exatamente o que era.
J: É tão difícil.
L: Eu sinto que os hits são tão fenomenais em sua essência. Que todo o sentido de um sucesso é que você não sabe sobre isso ou você não pode planejar isso.
S: Esse é um bom ponto.
L: Com relação ao que Jeremy está dizendo, é claro que você sente a pressão, mas é assim, não há sentido em sentir a pressão, porque como isso vai ajudar? Você só pode fazer o seu melhor. E você sabe que vai ficar melhor do que o que fez, porque é isso que é crescimento.
J: E o que sempre voltamos também é que a maneira como fizemos “Down” é que estávamos apenas fazendo algumas coisas que gostávamos. E nós amamos, nós colocamos primeiro no nosso álbum, nós o lançamos como single. E nada aconteceu na época. E então, um ano depois, um monte de coisas aconteceram. Nós nem pensamos que era a música para investir no momento. Tudo o que você pode fazer é abaixar a cabeça e escrever coisas que você gosta. Que você acha que é maneiro, isso faz você se sentir bem.

Idolator: Como vocês se uniram? Parece que é genial.

L: Nós somos! Nós somos amigos. Eu realmente os amo.
J: Você nos mencionou em uma entrevista.
S: Eu amo contar essa história! Nós realmente não havíamos escutado Fifth Harmony. Nós sabíamos sobre o grupo, mas não tínhamos nos aprofundado na música. Uma tarde, nossos tweets enlouqueceram e eles disseram “Lauren Jauregui, do Fifth Harmony, mencionou Marian Hill.” E nós estamos tipo “Ok. Isso é legal. ”Na entrevista, você está com Ryan Seacrest, eu acho, e ele ficou tipo,“ O que você ouve? ”E todo mundo ficou tipo“ Bieber, Britney ”, tudo o que estava no rádio no naquele momento. E você estava tipo, “Marian Hill”. E ele ficou tipo, “Uh …” [Todos riem].

Idolator: Lauren sabe o que é bom.

L: Quero dizer, isso é apenas quem eu ouço. É com quem eu realmente me divirto. Entende.
J: E então o follow no Twitter aconteceu.
L: Nós nos seguimos.
J: DMs aconteceram. Ela veio para um show. Mas ela veio a um show e nós nos conhecemos, e nós ficamos tipo “Oh, caramba. Você é incrível. ”Foi uma coisa realmente genuína.
L: Esta é a história que vamos contar aos nossos filhos. Eu literalmente fui ao seu apartamento em Nova York e nós apenas nos sentimos bem. Eles tinham essa música.
J: Nós gravamos “Back To Me” no meu quarto.
Idolator: Esse foi um momento histórico. Eu acho que foi a primeira música solo de Lauren?
L: Sim, foi. Foi.

Idolator: Quão excitante foi isso?

L: Incrível, honestamente. Eu lembro quando eles me mandaram a música. Eu estava tão animada Primeiro de tudo, quando nós nos falamos por mensagem e eles me convidaram para o show deles, eu fiquei tão animada porque eu sou obviamente uma fã deles. Foi tão mágico. E então começar a trabalhar com eles e mandar a música para eles, e então estar em um quarto de hotel e inventar algo e eles fazer isso. Tudo isso foi um processo para mim porque foi a primeira vez que eu me explorei como artista porque eu estava fora por um tempo.
Eu não gostava de mim porque eu estava tão concentrada no que eu tinha que fazer versus o que eu queria. E agora, apresentar a primeira música que eu fiz no Coachella foi como “Ah!” [Gritos].

Idolator: Então você mandou mensagem pra Lauren e a convidou?

J: Eu sinto que inevitável. Tipo como, quando você está tocando no Coachella.
L: E eu vi e fiquei tipo “Espero que eles me liguem!”
S: Eu sei! E só conseguimos fazer isso uma vez por ano porque você está ocupada o tempo todo e estamos viajando. É difícil fazer com que nossos horários se encontrem.

Idolator: Trabalhar com Marian Hill despertou seu interesse pela música eletrônica? Você fez outras parcerias desde então.

L: Sim, eu tenho. Mas na verdade, eu gravitei em direção a eles antes mesmo de fazer uma colaboração com eles por causa do que ouço naturalmente. Eu sou de Miami, então há muita influência EDM. Sim, na verdade, o Ultra também foi minha primeira apresentação. Eu me apresentei no Ultra com Steve Aoki.

Idolator: Eu sempre quis ir para o Ultra.

L: Eu sempre quis ir para o Ultra também, mas meus pais não me deixaram! E então eu comecei a tocar. E então eu comecei a trabalhar e minha primeira vez foi naquela época. E foi simplesmente mágico.
S: Eu nunca estive no Ultra. Isso é muito legal.
L: Mas sim. Música eletrônica esteve no meu sangue por um tempo.
J: É o próximo.
S: Mal podemos esperar para ouvir suas coisas!

Idolator: Então você tem novas músicas a caminho?

L: Sim, eu tenho. Acabei de trabalhar. Eu acabei de entrar no estúdio para ver com o que eu curto. Eu tenho muitas energias diferentes em mim. Eu tenho o lado eletrônico e então tenho o lado do rock and roll, o lado mais alternativo, e depois tenho o lado do R & B.

Idolator: Mas isso é o que faz você se destacar.

L: Obrigada! Eu dei vida a algumas músicas das quais tenho muito orgulho … estou tentando pensar na melhor maneira de descrevê-la! Dei vida a algumas músicas de que tenho muito orgulho, então espero continuar a fazer isso. Jeremy e eu vamos entrar no estúdio em breve. Ele é um produtor incrível.

Idolator: O set de hoje foi uma loucura. Esta é uma mini prévia do Unusual Tour?

J: Sim. Muito mesmo.
S: Sim, mas com luzes e no escuro!
J: Isso é tão engraçado. Nós amamos tocar shows no escuro. Nós realmente gostamos de poder controlar a vibração. O sol é difícil para nós.

Idolator: Como você se prepara para shows diurnos?

S: É difícil. É definitivamente difícil. É uma energia diferente também.
J: Sim, é definitivamente uma energia diferente. Eu definitivamente tenho que trabalhar mais para me fortalecer também. Quando é um show noturno, você pode tomar uma bebida ou duas. Quando é um show de um dia eu fico tipo “É cedo demais?”
L: Eu não me importo. São cinco horas em algum lugar.
S: Exatamente.

Idolator: Eu estava um pouco preocupado em fazer uma entrevista com três pessoas, mas isso foi muito divertido.

J: Foi realmente muito divertido para nós também. Eu sinto que estamos acostumados a ter um ao outro. É como sua vez, minha vez, sua vez.
L: Sim! Eu só vou aparecer em mais entrevistas. Tipo, o que está rolando?
S: Por favor!

Idolator: O álbum sai em 11 de maio. Há algum nervosismo de pré-lançamento?

J: Um pouco. Acho que agora mais do que nervosismo, estou pronto para que seja lançado. Porque mesmo vivendo com essas coisas por tanto tempo, eu acho tão bom. Eu acho que todas as músicas são fortes. Nós sempre teremos conversas sobre singles e elas são impossíveis para mim.
L: Eles estão prestes a enviá-lo para mim. Eu mal posso esperar.

Idolator: Boa sorte com o álbum. Aproveite o resto do festival!

Jeremy, Samantha & Lauren: Obrigado!

E então, o que acharam da entrevista? Os três são realmente muito fofos uns com os outros.
Amizade que surgiu de uma grande admiração da Lauren pelo duo e hoje além de ídolos um dos outros, são parceiros de música. Orgulho define!

Se você quiser ler a matéria original em inglês, acesse o Idolator.


15.04.18
Publicado por nas categorias: Matérias , Shows , vídeos

Ontem (14), o duo se apresentou pela primeira vez no festival Coachella performando algumas músicas do UNUSUAL, álbum novo que será lançado em 11 de Maio e outras do álbum de estréia ACT ONE.

Coachella Valley Music and Arts Festival, Coachella Fest ou simplesmente Coachella, é um evento anual de música e arte com duração de três dias (anteriormente um ou dois dias até a edição de 2007). O evento já está em sua 18º edição e reúne em cada edição, na cidade de Indio, Califórnia, mais de cem shows de artistas da cena alternativa, do rock, do hip hop e da música eletrônica, em meio ao Vale Coachella.

Em seu setlist para o festival, Marian Hill colocou “Down” que foi o seu grande sucesso do álbum de estréia ACT ONE e ganhador do certificado de Platina nos Estados Unidos, “One Time”, “Whisky”, “I Want You” e as músicas do novo álbum (que será lançado mês que vem) “All Night Long”, “Differently”, “Subtle Thing”, “Sideways” e “Wish You Would”, essa última foi lançada nas principais plataformas de download e streaming nessa última sexta feira. O duo também convidou Lauren Jauregui, integrante do girlgroup Fifth Harmony que está em pausa nesse momento para performar “Back To Me” ao lado deles.

“Back To Me” foi lançado no dia 9 de Outubro de 2016 como faixa bônus da versão estendida do álbum “Act One” que conta com 24 músicas dentre elas as que foram lançadas como EP no início da carreira do duo.
Até ontem, “Back To Me” só havia contado com duas performances ao vivo pois segundo Jeremy e Samantha, eles jamais cantariam a música sem a Lauren que colaborou na composição da canção junto com eles.

Marian Hill performará na segunda semana do Coachella no “Outdoor Theatre Stage”, dia 21 às 19:30 (horário de Brasília).

Confira abaixo alguns vídeos das performances do Marian Hill no Coachella:



O MarianHill.com.br é um site feito por fãs e para fãs, não somos a Samantha ou o Jeremy. O site é conhecido pelo duo e mantemos contato com a dupla a partir de suas redes sociais. Os artigos e traduções postadas aqui são de propriedade da nossa equipe e qualquer reprodução desse conteúdo deve ser creditada. As imagens e vídeos são de propriedade dos seus criadores, divulgamos apenas a título de informação aos fãs, não temos intenção alguma de infringir qualquer direito. É proibida a cópia total ou parcial deste site, assim como deste layout. Para mais informações entre em contato.